sexta-feira, 15 de junho de 2012

Jovem chinesa é obrigada a abortar



Ela não tinha 5.000 euros para comprar o «direito» ao segundo filho
LVL
15 de junho de 2012




A jovem chinesa Feng Juanmei, de 27 anos, foi forçada pelas autoridades comunistas de seu país a abortar em seu sétimo mês de gravidez. As fotos da pobre mãe com seu bebê assassinado está chocando o mundo inteiro.
A mãe, Feng Jianmei, declarou aos meios de comunicação locais que foi injetado um produto químoco letal para matar seu filho, contra a sua vontade e a inocente vítima saiu à luz já morta 36 horas depois.
Ela já tinha um filho e as autoridades de controle de natalidade locais ordenaram-lhe que devia pagar uma multa de 5.000 euros. Como ela não tinha esse dinheiro (quase 15.000 Reais) foi presa pela polícia de Shannxi, agredida e levada a um hospital para ser submetida a um aborto forçado.
Feng recorda com horror que argumentou diante do departamento de «planificação familiar» expondo que não podia pagar a multa porque sua sogra necessitava de dinheiro para um tratamento contra o câncer.
Feng Jianmei disse que pelo menos 20 empregados do departamento chegaram à sua casa e a levaram presa. A caminho do hospital ela tentou resistir e foi brutalmente espancada, mesmo gestando uma criança de 7 meses.
No hospital ela foi amarrada e então injetaram uma substância letal no feto, não sendo permitida a presença de nenhum membro da família durante o traumático momento. 
A mesma lei chinesa que determina este assassinato proíbe o aborto após o sétimo mês de gestação, o que caracteriza o crime contra a humanidade como também um crime contra as leis da própria China.
Feng disse que seu sogro, quando soube que ela havia sido presa e levada ao hospital, correu em sua ajuda, porém foi impedido de entrar na sala de obstetrícia.


    O mundo inteiro está chocado com as tristes imagens desta infeliz mãe com seu filho morto ao seu lado, enquanto a cada dia milhares de mulheres na China são castigadas pela infame «lei do filho único».Medios locales informaron que lo más probable es que a Feng le fuera inyectada una sustancia denominada Lifannuo –un bactericida de gran efectividad-, usada a finales de los años 80 y principios de los 90, cuando las autoridades impusieron el límite de un solo hijo.

7 comentários:

Anônimo disse...

isso e cruel e desumano que fez isso tem que ser punido, tirou a vida de uma criança, isso tem que acabar nesse pais, mulheres são mutiladas obrigadas a tirar seus propios filhos isso é uma coisa inaceitável,isso é cruel d+ até quando mais inocentes vai ter que morrer para tomar um atitude...

Anônimo disse...

isso é cruel desumano, isso tem que acabar nesse pais,quantas mães vão ser agredidas e mutiladas?quantos inocentes vão ter que morrer pra isso ter que acabar?... cade os direitos humanos?Cade a justiça? Eles não respeitaram suas propiás leis...
isso é uma coisa inaceitavel.

Anônimo disse...

Meu Deus o que está acontecendo com os seres humanos...a cada dia piores em todos os sentidos. H á com certeza boas pessoas que como eu sonham com dias melhores e que estão fazendo algo para que essa lei seja banida

Alexandre Cavalcanti disse...

Agradeço seu comentário. Este é um caso que saiu pela imprensa, porém, milhares de casos idênticos acontecem todos os dias na China e em outros países. Em certo sentido, o pior são as próprias mães que voluntariamente matam seus filhos pelo aborto, geralmente consequência da promiscuidade e pela comodidade de não assumir a vida de um novo filho. Porém a experiência mostra que a frustração e o peso de consciência de uma mãe que aborta nunca abandonará em nenhum minuto de toda sua vida.

Anônimo disse...

Meu deus tem q acabar isso q crueldade :(

Karen '96 disse...

Acho que esse controle de natalidade da China tá corretíssimo. A mulher sabia da lei. Agora agora obrigar a mulher a abortar uma criança de 7 meses aí já é de mais.

Alexandre Cavalcanti disse...

Karen, você só pode ter uma opinião sobre o tema porque esta lei não existe no Brasil, do contrário você teria sido abortada. Além de todos os outros problemas decorrentes desta imposição antinatural do estado, a maioria das famílias dá preferência a que o único filho que está permitido nascer seja homem, por isso a maioria das mulheres que são concebidas são abortadas. Com certeza, você seria uma delas... Isso seria “corretíssimo”?